Connect with us

Estado

Acipa pede que MPE avalie possibilidade de determinar remoção da ciclovia da Avenida Tocantins

Published

on

Por Cleber Toledo

A  Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa) esteve no Ministério Público do Tocantins (MPE) nesta sexta-feira, 16, para pedir a avaliação sobre a possibilidade da remoção da ciclovia implantada na Avenida Tocantins, em Taquaralto. A entidade entende que a medida é a solução mais prática e eficaz para resolver em definitivo todo o transtorno gerado no trânsito do local.

Promotora Kátia Chaves Gallieta foi quem recebeu o presidente da Acipa, Joseph Madeira (Foto: Divulgação)

Melhorias

O presidente da Acipa, Joseph Madeira, avalia que são diversas as questões que podem ser sanadas com o atendimento do pleito. Segundo o representante, a proposta pretende intervir no índice de acidentes, melhorar o fluxo da via, facilitando passagem e estacionamento, e em consequência, propiciar ao comércio local condições para retomada do crescimento econômico.

Solução é a mais simples possível

Joseph Madeira destaca a mediação da entidade. “A Acipa está representando os empresários, criando condições de diálogo e organizando o suporte técnico que dá base ao pedido. O problema é notório e a solução proposta é a mais simples possível, a ciclovia reduz o espaço dos veículos e na altura do cruzamento, coloca em risco a segurança do próprio ciclista. Com a remoção, o fluxo será devolvido com segurança e neste momento isso é imprescindível para a recuperação do comércio”, aponta Madeira.

Encaminhamento

A promotora Kátia Chaves Gallieta decidiu pelo requerimento de manifestação do Tribunal de Contas sobre o objeto da ação civil, bem como quanto à possibilidade de acordo entre as partes. “Deliberamos que daqui 30 dias nos reuniremos novamente para apresentar novas informações a partir de reuniões que serão realizadas entre os comerciantes e a prefeitura através da intermediação da Acipa. Também vamos buscar junto ao TCE informações quanto à suspensão das obras do Shopping a Céu Aberto e como tramita o processo de suspensão daquelas obras”, comenta. Conforme explicação do município, nenhuma obra ou adequação poderá ser realizada enquanto perdurar a paralisação imposta pelo TCE.

Outras adequações

A promotora de Justiça, que atua na área de defesa da ordem urbanística, avaliou que a avenida necessita de outras adequações, como a instalação de semáforos e a abertura de cruzamentos da Avenida Tocantins.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas